Metalúrgico reivindica saneamento básico

Ouro Preto,
16 de Agosto de 2012

Sem infraestrutura urbana básica, bairro de Cachoeira do Campo vira caso de saúde pública

A dona de casa, Eva da Costa Torres, 63 anos, enfrenta uma realidade ainda comum a muitas pessoas: a falta de rede de esgoto e a dependência das fossas. “O esgoto aqui é lançado na rua e corre a céu aberto em todas as direções, próximo às casas e às pessoas e desemboca no córrego. Não aguentamos mais o mau-cheiro e essa situação de abandono”, lamenta Eva, que é moradora da Rua J, nas proximidades da lagoa. Esse e outros problemas levaram os moradores a entrar com uma representação no Ministério Público e a solicitar providências da Câmara Municipal, além de secretarias municipais. “Todas sem sucesso. Sabem da gravidade, mas não fazem nada para nosso bairro; queremos mais respeito e atenção, estamos esquecidos”, diz a moradora.

A falta de rede de esgoto no Metalúrgico é um fator histórico, agravado nos últimos 10 anos com o crescimento do bairro, um dos maiores de Cachoeira do Campo. No local, uma fossa que seria clandestina recebe esgoto de várias casas. Quando os moradores resolvem adotar sistemas próprios ainda encontram dificuldades. “Eu construí uma fossa própria, mas não foi possível utilizá-la, já que há muita água no terreno, enchendo-a constantemente”, conta José Tarcísio Santos, 52. Segundo os moradores, a presença constante de esgoto nos quintais, terreiros e passeios já causou desentendimentos entre eles. “A situação chegou ao extremo, pois não há mais local para o esgoto correr. Queremos canalização urgente e moradia digna,” diz Evaldo Leandro. Se não bastasse, o bairro ainda enfrenta a ausência de drenagens pluviais e de rede de água, ruas sem pavimentação ou calçamento, e assoreamento da lagoa. “Aqui em casa dependemos de água da nascente, nem contamos com água da Prefeitura”, afirma Geraldo Alves Ferreira, 53.

Segundo informações da reportagem do O LIBERAL, há melhorias de infraestrutura em vista para o bairro, mas ainda sem previsão de início pela Secretaria de Obras e pelo Serviço Municipal de Água e Esgoto (Semae), já que dependeriam de aprovação de dotação orçamentária. “A demanda por uma obra de grande porte no Metalúrgico já é de conhecimento, por isso há projetos finalizados de redes de água, esgoto e para a implantação de um reservatório de água no bairro”, considera o engenheiro Civil do Semae, Luciano Pereira Gomes. Recentemente, a Prefeitura de Ouro Preto, após a anuência dos órgãos competentes, abriu uma rua ligando o bairro ao centro de Cachoeira. Os moradores aprovaram a iniciativa, mas esperam novas benfeitorias para melhor qualidade de vida da comunidade.

Comments powered by Disqus

Newsletter

Acompanhe-nos

Encontre-nos no Facebook