Colégio Técnico Inconfidente Alvares Maciel

Cooperouro terá nova assembleia para prestação de contas

Ouro Preto,
04 de Março de 2014

Após confusões, destituição de cargo e anulação de assembleia, a Cooperouro de Ouro Preto tem nova reunião agendada para a prestação de contas da cooperativa. A assembleia está agendada para o dia 10 de março, às 09h, na sede da Cooperouro.

Os desentendimentos entre a diretoria e alguns cooperados, incluindo membros do conselho administrativo, tiveram início na mais recente reunião de prestação de contas, que aconteceu no dia 14 de fevereiro, e culminou na destituição do atual presidente, Joaquim Oliveira. O presidente afirma que a ação foi ilegal e sem fundamentos, além de não ser pauta da reunião. “Destituir um dirigente, sem o devido processo, ou seja, sem acusação formal, sem defesa, é na realidade querer criar um tribunal de exceção. E foi isto que estes diretores, com a ajuda de cooperados que ocupam posição de destaque em empresas da região, tentaram fazer, inclusive a famigerada assembleia, culminou com o afastamento ilegal”, explicou Joaquim. O presidente foi reconduzido ao cargo após a decisão do Conselho Fiscal e da Justiça, no dia 17.

Segundo Robinson Ferreira Aquino, Diretor Comercial, a confusão foi resultado do questionado sobre o contrato com a atual padaria fornecedora da cooperativa, que é de familiares do atual presidente. “De acordo com a legislação da cooperativa, não é permitida a assinatura do contrato sem outro diretor, e deveria ter sido declarado o seu impedimento por ser de interesse direto”, afirma Aquino.

Joaquim diz que os contratos não são ilegais e tiveram aprovação do Conselho Fiscal da Cooperativa. “Tais contratos, resolvidos no início de 2013, tiveram pareceres favoráveis de especialistas, do Conselho Fiscal da Cooperativa e da auditoria independente. Isto não agradou aos diretores revoltosos que resolveram, ignorando a posição destes órgãos de controle, levar a situação de forma distorcida para a assembleia, ilegalmente. Agora a justiça também se posicionará sobre os mesmos, encerrando de vez o assunto”, rebate Joaquim.

Robinson assumiu a presidência de acordo com a legislação da cooperativa pela vacância oriunda da destituição. “Pela previsão estatutária eu sou o superposto à presidência em caso de impedimento ou vacância. Todos os cooperados tomaram conhecimento de todas as irregularidades apresentadas e comprovadas, durante a reunião, e a grande maioria votou a favor da destituição de Joaquim”, informou Aquino.

Já para Joaquim, “o mais irônico e contraditório é que essa mesma assembleia, entendeu por aprovar as contas, cujo principal responsável é o Presidente. Contas que, diga-se de passagem, mostram um colossal crescimento da Cooperouro nos últimos 04 anos, como poderá ser verificado pelo Cooperado, que a partir desta próxima semana, no carnaval, recebe em casa o relatório de gestão 2010/2013”, atesta Joaquim.

Robson Aquino afirma que não será candidato à eleição da presidência, e que o seu interesse é somente resguardar os direitos dos cooperados. “Eu não vou me candidatar, esta já é uma decisão antiga. Esta determinação é uma garantia de que tenhamos isenção em todo o processo. Eu deixo claro que estou defendendo os interesses da cooperativa e os prejuízos que o atual presidente está infringido a cooperativa”, assegura o Diretor Comercial.

A eleição da nova diretoria da Cooperouro acontecerá no final de março, e o presidente reconduzido garantiu que é candidato. “Neste momento estamos empenhados em criar uma estrutura administrativa, que independa do conselho de administração, de maneira a evitar que grupos aventureiros tomem a gestão da Cooperativa”, finaliza o presidente.

Comments powered by Disqus

Newsletter

Acompanhe-nos

Encontre-nos no Facebook